Aprendendo a se formalizar como MEI

E aí, pessoal! Como estão?

Vocês se lembram do que expliquei na última publicação? Se a resposta foi sobre o MEI (Microempreendedor Individual), acertaram. Mas se tem alguém que ainda não viu, é só clicar aqui.
Aí, como eu prometi, volto hoje com o passo a passo pra mostrar de forma bem simples como vocês conseguem se cadastrar como MEI de gratuitamente e o melhor: sem sair de casa. Bora lá?

Antes de tudo, verifiquem a viabilidade do negócio, tá? Isso quer dizer que, antes de abrir um MEI, é importante pesquisar aí na sua prefeitura (ou administração regional, no caso do Distrito Federal) se a atividade profissional que desejam exercer é permitida.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, algumas atividades são proibidas – como, por exemplo, a fabricação de fogos de artifício e o serviço de mototáxi – e outras não podem ser realizadas em determinadas regiões.

Mas sem enrolação, deem só uma olhada aqui no passo a passo, explico tudo direitinho pra vocês:

1º Passo: vocês devem acessar o portal gov.br/mei. Quando a página abrir, cliquem em “Quero ser MEI” e, logo depois, cliquem na primeira opção, onde está escrito “Formalize-se”.

2º Passo: depois disso, vocês vão ser redirecionados pra página de acesso do portal do governo. Se, por acaso, aparecer a mensagem “Sua conexão não é particular”, no seu celular ou computador, é só clicar logo abaixo onde está escrito “Avançado” e depois em “Ir para me.receita”. Não precisam se preocupar, pois essa é uma página segura do governo.

3° Passo: feito isso, é só criar uma conta (ou, se já tiver uma, logar na conta que abriu com o seu CPF e a sua senha). Vocês vão perceber que existem várias opções pra criar a conta. Aí, é só escolher uma delas e seguir o passo a passo que aparece logo em seguida.

4º Passo: assim que logar no portal do governo, vocês serão redirecionados pra página “Portal do Empreendedor - Inscrição MEI”. Se alguém for declarante do Imposto de Renda, será solicitado o número do último recibo de entrega do imposto. Mas se não tiver esse número em mãos, é possível recuperá-lo acessando o e-CAC, que é o Centro Virtual de Atendimento da Receita Federal. Mas se não for declarante do Imposto de Renda, será solicitado o número do Título de Eleitor. Depois de preencher tudo direitinho, é só clicar em “Continuar”.

5º Passo: essa é uma das partes mais importantes e vocês precisam ter muita atenção. Vocês vão perceber que alguns dados já estarão preenchidos, como: CPF, data de nascimento, Nome Empresarial (que não é possível alterar, o nome do seu MEI será o seu próprio nome de Pessoa Física). Vão aparecer esses aqui pra serem preenchidos:

  • Lá na parte de identificação, serão solicitados o número do seu RG, o órgão e o estado emissor, seu telefone e um e-mail pra contato;
  • O nome fantasia não é obrigatório, mas pode preencher com o nome que quiser pro seu negócio;
  • Em capital social, vocês precisam preencher com o valor que você já tem pra abrir o seu negócio (recursos financeiros, materiais, etc.);
  • Na parte de atividades, coloquem a sua atuação principal (podem ser inseridas até 15 ocupações secundárias da sua empresa);
  • Em forma de atuação, podem selecionar quantas opções forem aplicáveis à sua atividade como MEI;
  • Também serão solicitados o seu endereço residencial e comercial, mas se sua atividade não exige um ponto comercial, é só colocar o endereço residencial que tá tudo certo;
  • E, por último, mas sempre importante: vocês devem ler e aceitar todas as declarações e termos de ciência e responsabilidade. Se estiverem de acordo com todos os itens, é só clicar em “continuar”.

6º Passo: depois desse rolê todo, vai abrir uma tela pra confirmar todos os dados informados. Depois de verificarem se está tudo certinho, é só confirmar e a abertura do seu MEI será concluída. Aí, salvem em alguma pasta do seu computador (ou celular) o CCMEI, que é o seu Certificado da Condição do Microempreendedor Individual.

Feito tudo isso, conseguimos concluir o processo de abertura do MEI de forma rápida e sem pagar nadinha.

Ah, outra coisa que também é muito importante relembrar: o MEI tem algumas obrigações, que são: pagar mensalmente as contribuições DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional); preencher o relatório de receitas brutas; manter as notas fiscais de suas compras e vendas; prestar informações de empregado (se tiver algum) e recolher o seu FGTS e apresentar a declaração anual de faturamento.

Agora, eu pergunto: ficaram atentos ao passo a passo? Quem acabou de se tornar um MEI ou quem já tem um microempreendimento pode desfrutar de todos os benefícios.

E falando nisso, me contem aqui embaixo qual é o seu empreendimento ou, se alguém estiver pensando em abrir um, qual será. Eu tenho muitaaaas novidades pra trazer pra vocês e, quem sabe, trago algumas dicas de como aumentar as vendas e os lucros da sua empresa. :wink: